Sacerdote que defendeu “casamento” homossexual é excomungado pelo Vaticano

O relatório da Arquidiocese com a decisão de afastar o Pe. Jose Nicolas Alessio foi emitido em 6 de fevereiro, em que o sacerdote é “excluído de todo exercício do ministério sagrado, conforme as normas que obrigam os padres que foram suspensos.”
“Esta demissão não está sujeita a qualquer recurso,” a arquidiocese acrescentou.
O Arcebispo de Córdoba Carlos, Jose Nanez, iniciou um processo canônico contra Alessio em 2010 com suspensão temporaria de suas funções, isto se deu quando a mídia publicou declarações atribuídas a ele em favor do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo.
As afirmações do padre foram feitas durante um debate nacional sobre a questão que levou à aprovação de tais “casamentos” por parte do governo argentino.
O jornal argentino El Nuevo Diario relata que, de acordo com um oficial da arquidiocese, Alessio também foi acusado de ter presidido a cerimônias de “casamento” homossexuais, bem como “casamentos” entre divorciadas, os quais são considerados sacramentalmente inválidos pela Igreja Católica Romana.
Alessio desafiou todas as vezes em que os processos foram iniciados contra ele, chamando o Arcebispo Nanez de “fascista, retrógrado e incapaz de entender a diversidade”, e reclamando que “eles estão me penalizando por pensar de forma diferente.”
Quando a decisão foi divulgada pública em 10 de abril, o padre lamentou que “mais de 30 anos a serviço do povo de Deus não tem significado para a Igreja Católica.”
Segundo o jornal La Prensa da Argentina, Alessio insistiu ao Papa Francisco para acabar com dois mil anos dos ensinamentos da Igreja Católica sobre o mal de atos homossexuais quando o pontífice foi eleito em março.
O jornal relata que o padre escreveu ao Papa Francisco uma carta insistindo-o a criar “uma comissão de especialistas nas ciências humanas e sociais para a promulgação rápida de um documento que se distancia da homofobia, que rejeita claramente a teoria que considera a homossexualidade como uma ‘túmulo desordem “, que valoriza a ideologia de gênero como uma ajuda indispensável para o respeito à diversidade, e que abre a discussão sobre toda a moral sexual da Igreja.”
O pontos de vista de Alessio sobre questões de moralidade sexual diferem muito daqueles do Papa Francisco, que, como o Arcebispo de Buenos Aires chamou o “casamento” homossexual de uma “maquinação do Pai da Mentira, que procura confundir e enganar os filhos de Deus.”
 O referido Pe. Alessio já deveria ter sido afastado faz tempo. Que o mesmo aconteça no Brasil em relação a certos clérigos desobedientes a Igreja Romana.(Grifos Meu)
Tradução: Ana Paula Linvigston

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s