Para pensar bem: Qual o teu senhor?

“Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro”.

O serviço de que fala Jesus aqui não é um serviço qualquer: é o serviço do servo, um serviço que dura a vida toda e absorve a pessoa toda: seu tempo, seu interesse, sua vida mesma. Em outras palavras: trata-se, em termos de hoje, da nossa opção fundamental, daquilo que se torna o eixo e a razão da nossa vida.
E, aqui, não pode haver duas opções: ou Deus ou o dinheiro! 

Mas, cuidado com a palavra “dinheiro”. Não se trata do monetário, dos rendimentos, simplesmente. Dinheiro significa tudo quanto tenho: meus talentos, minha saúde, meu vigor físico, minha família, meus amigos, meu trabalho, meu prestígio, minha fama, minhas posses, meu modo de viver… Tudo isto é dinheiro!

O que Jesus nos diz é que um só é o eixo da minha vida: ou Deus ou o meu interesse (mil interesses, mil preocupações, mil amores!): não se pode servir a Deus, não se pode ter Deus por Deus verdadeiro, escapando e servindo-se a si mesmo e seus interesses e amores!

É o mesmo sentido daquela outra palavra: “O homem não vive somente de pão, mas de toda palavra que sai da boca de Deus!”
Pão é tudo aquilo que nutre e sustenta e situa a minha vida: a comida, a moradia, os amigos, os bens materiais, a saúde, o prestígio, o trabalho, a família, o lazer… Tudo isto é pão, tudo isto é importante, tudo isto contribui para sustentar a vida; nada disso enche o coração, nada disso realiza, nada disso desvela o Sentido último da existência! O pecado, a blasfêmia, o engano do mundo é querer nos fazer acreditar que o homem vive somente de pão, que o pão pode saciar-lhe o coração

Dom Henrique Soares da Costa

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s