Súplica pela unidade – Pe. Zezinho, scj

Falo a ti como Filho eterno, um só Deus com o Pai e o Espírito Santo.

Entre nós estiveste, verdade que professamos e que é profunda demais para que possamos explicá-la pela lógica! Ou deixamos de crer porque não faz sentido, ou cremos porque o que afirmam que disseste nos convenceu o suficiente para continuarmos a aprofundar o mistério do qual nos deste um vislumbre e, desde o começo, cristãos como nós o procuram dia após dia. Para outros pode ser tolice. Eu creio! Não posso julgá-los e espero que não me julguem sem inteligência porque ouso proclamar-te Deus!

Entre nós estiveste e permaneces. Onde dois ou três estiverem reunidos ali estás com o teu mistério. Vieste e queres que vamos a Ti.

Concede a nós e a cada igreja que acredita na tua presença naqueles dias e hoje, a graça de buscar-te na Palavra, nos sacramentos e nos sinais que dás, sobretudo na penitência e na caridade, porque, mesmo crendo, às vezes erramos e ferimos. Nosso egoísmo ainda não nos permite a coerência de crer e acertar sempre!

Somos igrejas sinceras, mas imperfeitas. Somos humanos e o fato de crermos em Ti não nos transforma em anjos do céu. Mas se conseguirmos ser anjos na terra, mensageiros teus entre os irmãos que dividem conosco este tempo e esta era, capazes de perdoar mesmo se gravemente julgados e ofendidos e de pedir perdão mesmo se não tivermos culpa do que nos acusam … Ninguém é perfeito, Senhor! Se ferirmos pediremos perdão, tenhamos tido ou não intenção de ofender.

Mas queremos ser anjos que te anunciam enquanto cuidam do planeta e das pessoas que nele moram, lembrados da tua prece em João quando pediste ao Pai que, quando te fosses para Ele, continuássemos um só povo em Ti no Pai e no Espírito pedimos a sublime graça da paz e da unidade.

Melhor do que nós, conheces os empecilhos e os entraves que dificultam o exercício da fraternidade e do diálogo entre as igrejas. Sabes o porquê de cada crente e o que o impede de ir aos outros e com os outros. Ainda não aprendemos a nos admirar, a nos conhecer e a discordar sem perder o respeito. Ainda não aprendemos a corrigir sem ofender e a aceitar correções sem fechar a cara contra o irmão que desejou nos ajudar. Confiamos demais em nós desconfiamos demais dos outros.

Mais do que uniformidade pedimos é a graça da unidade na diversidade e de conformidade ao teu querer. E o teu querer é que sejamos um. Ensina-nos que é possível ser diferente e crer diferente, mas viver em paz.

E se não formos capazes disso, então será porque ainda não entendemos a tua presença neste mundo. Neste caso, converte-nos para o diálogo sincero.

http://www.padrezezinhoscj.com
Comentários para: online@paulinas

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s