Antes de abortar, mulher escreve carta aberta para o bebê

Uma mulher que marcou uma cirurgia para encerrar a gravidez no fim desta semana decidiu publicar uma carta aberta em uma página no Reddit para se despedir do bebê que está esperando e tentar explicar os motivos que a fizeram tomar esta decisão.

A carta gerou uma enxurrada de comentários na rede. A maioria dos usuários do Reddit apoiam a decisão de abortar e dizem ter se emocionado muito com o relato da mulher. “Obrigada, obrigada, obrigada. É difícil. Eu me sinto enjoada e muito mal por não querer isso (ter um filho). Ao mesmo tempo eu quero tanto! Mas eu me sinto melhor sabendo que não estou sozinha e, agora que vejo tudo isso escrito, a loucura na minha cabeça está menor, o que é bom. Obrigada, estou me sentindo mais corajosa”, agradeceu a autora, sob o nome de usuário scaredthrowingaway (algo como “medo de jogar fora”, em tradução livre).

Confira o texto, publicado neste fim de semana de forma anônima com o título “Vou fazer um aborto na sexta-feira. Esta é uma carta aberta para a pequena vida que eu não conhecerei”:

“Coisinha,

eu consigo te sentir aí. Estou com o dobro de apetite e metade da energia. Parte o meu coração não estar tão encantada com isso quanto eu deveria. Estou ao mesmo arrependida e sem arrependimentos.

Estou triste que este seja um adeus. Triste porque nunca conseguirei te conhecer. Você poderia ter os olhos do seu pai e o meu nariz, poderíamos fazer as nossas próprias tradições e sermos uma família. Mas, Coisinha, nós vamos nos encontrar novamente. Prometo que a próxima vez que olhar aquele sinal de positivo azul (no teste de gravidez), a próxima vez em que você estiver na mesma realidade que eu, estarei preparada para você.

Coisinha, eu quero que você seja feliz. Mais do que desejar coisas boas para mim, eu quero as melhores coisas para o futuro. É por isso que não posso ser sua mãe agora. Eu ainda estou crescendo. Não seria justo trazer uma nova vida ao mundo que ainda está sendo assombrado pelos fantasmas que vivi. Eu quero que você tenha tudo o que eu não tive quando era criança. Quero que você seja melhor do que eu era e mais magnífico do que eu nunca poderia ser. Não posso fazer com você o que fizeram comigo. Amor e espontaneidade são lindos, mas têm pouco mérito. E enquanto eu tenho muitos sonhos para perseguir, eles não são ferramenta suficiente para construir um amanhã melhor. Eu não posso te trazer para este lugar. Não deste jeito.

Eu te amo, Coisinha, e queria que as circunstâncias fossem diferentes. Prometo que te verei novamente e, da próxima vez, você poderá me chamar de mãe.”

Via: site “Extra”

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s