Para pensar com calma e não tornar Jesus inútil…

Quando hoje a Igreja, com renovada consciência, abre-se para o diálogo com as outras religiões, deve sempre conservar a atitude de fecunda tensão que sempre a norteou no contato com as realidades não-cristãs:

de um lado abertura para reconhecer tudo quanto de bom aí possa encontrar-se, individuando nessas realidades as sementes do Verbo, espalhadas em todas as realidades criaturais, já que tudo quanto existe foi criado através do Filho morto e ressuscitado e para o Filho morto e ressuscitado. Isso nos livra de todo fechamento e de ver o demônio em tudo que esteja fora da sacristia!
Outro excesso a evitar-se é aquele de certo diálogo interreligioso atual, que nivela as religiões todas entre si, considerando o cristianismo apenas mais um veículo da revelação – o mais elevado, mas apenas mais um. Tal visão é falsa, errônea e fere no coração a fé cristã.

O cristianismo é absolutamente único: não é uma palavra humana sobre Deus e sobre o homem, mas uma palavra de Deus, uma palavra realmente revelada por Deus sobre Si mesmo, sobre a humanidade e sobre o mundo.
Em Cristo Deus nos visitou pessoalmente, pessoalmente fez-Se um de nós para nos fazer efetivamente participantes da Sua Vida divina. Perder de vista esta estupenda realidade é esvaziar totalmente o cristianismo e inutilizar a cruz de Cristo.

Nunca é demais recordar: Jesus não é um simples mensageiro, não é um simples profeta nem mesmo um homem perfeito! Ele é, pessoalmente, Deus bendito pelos séculos, Ele é a segunda Pessoa da Trindade Santíssima, através Dele e para Ele tudo foi criado e nós mesmos existimos. Em Jesus nosso Senhor Deus, pessoalmente, realmente, visitou-nos! Jesus não é um humano que Se fez Deus, mas Deus mesmo que Se humanizou, tomando a condição de servo para nos dar a Sua Vida divina pela Sua morte e ressurreição. Para isto Ele veio; por isso nós cremos Nele e a Ele entregamos a nossa vida: para que a nossa vida seja transfigurada em Vida!

 

Dom Henrique Soares

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s