Que nossas igrejas sejam o lugar do encontro com Deus

Que nossas igrejas sejam o lugar do encontro com Deus! Por uma religião pura e sem manchas, na qual o encontro com Deus está acima de tudo, é que Nosso Senhor morreu na cruz!

Neste terceiro domingo da Quaresma, nós contemplamos Jesus no templo, ao qual Ele volta por uma ocasião diferente: volta para purificar esse lugar. O Senhor faz isso, pois estão fazendo da casa de Deus, o lugar da oração, o lugar do encontro com Ele, um lugar para o comércio, para o roubo; um lugar onde outros interesses estão sendo colocados no lugar das coisas de Deus.

Deixe-me dizer uma coisa a você: todos nós precisamos ter um zelo muito especial pela casa de Deus, pois religião não é comércio, não é lucro, religião não é o espaço para se ganhar dinheiro ou para as pessoas enriquecerem. Religião é o lugar onde investimos tudo para que as pessoas se encontrem com Deus, e isso não tem preço!

Por essa razão, se há uma coisa que tira o coração de Jesus do sério é quando fazem do lugar do encontro com Deus um lugar de lucro. Nossas igrejas, nossos templos, não podem ser o lugar onde se fala mais de dinheiro do que de Deus, porque o Deus a quem nós servimos não é o deus deste mundo, o “deus do dinheiro”; o Deus a quem servimos é o Senhor da vida, o Criador de todas as coisas.

Não tem preço para entrar na casa de Deus, não tem preço para se viver as coisas d’Ele, a não ser um coração puro ou desejoso de se purificar da ganância e da sede dos bens materiais. Por causa disso os judeus se enfurecem com Jesus e, então, inicia-se a trágica morte do Senhor. Eles ficam enfurecidos com a atitude do Mestre, que repudia o trabalho e o comércio que muitos deles realizam na casa de Deus.

Na religião de Deus não há espaço para a esperteza humana, para aqueles que querem fazer do lucro a sua fonte de sobrevivência por causa das coisas de Deus. Por uma religião pura, sem mancha, por uma religião na qual o encontro com Deus está acima de todas as coisas e a pessoa humana é até mais importante do que o templo é que Nosso Senhor morreu!

Ao dizer-lhes: “Destruí vós este templo e em três dias eu o reerguerei” (João 2, 19), é como se Ele lhes dissesse: “Vocês podem destruir esse templo, mas em três dias Eu o reerguerei. Vocês podem tirar minha vida – diz Jesus – mas no terceiro dia Eu ressuscitarei! Eu sou o templo que ninguém corrompe, que ninguém destrói, um templo onde acolho todas as almas que buscam a Deus”.

Que nossas igrejas sejam templos vivos, lugar do encontro com o Deus vivo e verdadeiro!

Deus abençoe você!

Pe Roger Araújo

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s