“Deus nos salvou dos monstros do Estado Islâmico”, narra refugiada no Iraque

Início » Notícias » Mundo

“Deus nos salvou dos monstros do Estado Islâmico”, narra refugiada no Iraque

Por Blanca Ruiz

88318

 

MADRI, 09 Set. 15 / 08:00 am (ACI).- A plataforma MásLibres.org, entidade que defende a liberdade religiosa dos cristãos onde eles são perseguidos, esteve durante os últimos quinze dias no Curdistão iraquiano. Além de trabalhar ajudando os refugiados, também produziram diversos vídeos através dos quais mostram a realidade destas pessoas obrigadas a deixar tudo para evitar a morte nas mãos do Estado Islâmico.

Este foi o caso de Waffa, uma jovem que, apesar de ter perdido tudo, agradece a Deus porque ela e sua família saíram vivos depois da fuga. “Dou graças a Deus porque o ISIS não assassinou as nossas crianças, nenhum dos nossos filhos ou os homens”. “Deus nos salvou daqueles monstros”.

Os doze voluntários espanhóis da plataforma MásLibres.org, voltam a Madri depois de conviver no Curdistão iraquiano com refugiados perseguidos pelo Estado Islâmico. Segundo afirmaram a situação “é devastadora e clama por uma solução que permita retornar aos seus lugares de origem”.

Em um dos vídeos feitos por maislibres.org, Waffa nos dá seu testemunho, a jovem é uma das muitas refugiadas cujos voluntários do projeto #CampamentoIrak estiveram durante estes dias.

“Não quero ir embora do meu Iraque, porque amo o meu país. Inclusive passando por estes momentos tão ruins, muito difíceis para todos, quero voltar para minha cidade. Mas sei que se retornamos será muito difícil, porque nossos povos e provavelmente muitas casas foram destruídas; terão saqueado nossos pertences, mas começaremos uma nova vida e trabalharemos para levantar nossos povoados”, afirmou a jovem que foi obrigada a fugir da cidade de Qaraqosh.

Posteriormente passou por Kirkuk e por Erbil, e finalmente reencontrou-se com sua família.

Via ACI Digital

Anúncios

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de "Kerigma, A Proclamação da Palavra". Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s