Próximas JMJs terão temas com foco em Maria

O Vaticano anunciou nesta terça-feira, 22, os temas das próximas Jornadas Mundias da Juventude que serão realizadas em 2017, 2018 e 2019. Esta última será a edição internacional do evento, no Panamá. Os temas escolhidos pelo Papa Francisco trazem como foco a figura de Maria.

“Grandes coisas fez por mim o Onipotente (Lc 1, 49) será o tema para 2017 (32ª JMJ, âmbito diocesano); “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus (Lc 1, 30) será o tema para 2018 (33ª JMJ, âmbito diocesano) e “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38) será o tema para a edição internacional em 2019, no Panamá (34ª JMJ).

Acesse
.: Saiba mais sobre JMJ em nossa página especial

Em comunicado emitido hoje, o órgão Vaticano para os Leigos, a Família e a Vida, responsável pela organização da Jornada, explica que o caminho espiritual indicado pelo Santo Padre prossegue com coerência a reflexão das últimas três JMJs (2014 a 2016), centradas nas Bem Aventuranças.

“Como sabemos, Maria é aquela que todas as gerações chamarão bem aventurada. No discurso preparado para o encontro com os voluntários da JMJ de Cracóvia, Papa Francisco ilustrava as atitudes da Mãe de Jesus, indicando-a como modelo a imitar”, explicou o Vaticano.

Os temas anunciados buscam dar ao itinerário espiritual das próximas jornadas uma forte conotação mariana, retomando, ao mesmo tempo, a imagem de uma juventude em caminho, animada pelas três virtudes teologais: fé, caridade e esperança.

O caminho proposto aos jovens também está em sintonia com o tema escolhido pelo Papa para o próximo Sínodo dos Bispos: “os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

Sobre a JMJ

A Jornada Mundial da Juventude, conhecida como JMJ, é um evento criado por São João Paulo II, em 1986, que reúne jovens católicos de todo o mundo. Tem o intuito de celebrar a fé em Jesus Cristo e mostrar o rosto jovem da Igreja. A maior reunião de jovens católicos do mundo tem atravessado gerações e fronteiras, e reunindo pessoas dos quatro cantos do planeta.

A última edição do evento foi realizada em julho de 2016 em Cracóvia, na Polônia, com o tema “Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mt 5, 7), em harmonia com o Jubileu da Misericórdia proclamado pelo Papa Francisco para o período de 8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016.

O Brasil foi sede da edição internacional do evento em 2013, ocasião que trouxe o Papa Francisco ao país em sua primeira viagem apostólica depois que foi eleito Papa em março do mesmo.

 

Via Canção Nova Noticias

Sobre a questão da absolvição do aborto:

1- a pena para o aborto continua sendo a excomunhão.

2- a praxis recente da Igreja, desde o papado de São João Paulo II, já era a de conceder a faculdade de levantar a pena de excomunhão dos penitentes arrependidos da prática, ou da cumplicidade, do aborto para os párocos em praticamente todas as dioceses.

3- A extensão desta faculdade à todos os padres não é um atenuante da pena, muito menos um salvo-conduto para o assassinato de crianças. Já absolvi dezenas de mulheres excomungadas, pois desde ordenado já tinha essa faculdade, e todas elas mostraram profundo arrependimento e, algumas delas, traumas horripilantes, mesmo passados anos do crime.

4- de modo que, facilitar o acesso à misericórdia e reconciliação com Deus, principalmente em tempos em que os fiéis acorrem cada vez menos à confissão, é uma decisão do Santo Padre que, em meio à tantas outras um tanto polêmicas, devemos louvar e agradecer.

Padre Gian Paulo