Arcebispo autoriza abertura de processo de beatificação de Pe. Léo

Segundo ACI(26/09/17), mais um brasileiro segue a caminho dos altares, após o Arcebispo de Florianópolis (SC) autorizar o pedido de abertura do processo de beatificação de Padre Léo, fundador da Comunidade Bethânia.

O anúncio foi feito nesta terça-feira pela Comunidade Bethânia, que publicou em seu site e página de Facebook uma nota sobre o processo de Beatificação do Padre Léo, assinada por Padre Vicente de Paula Neto, presidente da comunidade.

“Conforme trajeto formal e necessário, formulado pela Mãe Igreja, foi apresentado ao Arcebispo de Florianópolis, D. Wilson Tadeu Jönck, por parte da Comunidade Bethânia o pedido de abertura do processo de Beatificação do Pe. Léo”, informa a nota.

Segundo o comunicado, o Prelado “acolheu, autorizou e incentivou o trabalho nesta direção indicando os passos seguintes”.

A Comunidade informa ainda que “por estes dias ainda será acordado com um ‘Postulador da Causa de Beatificação’ os passos para a abertura formal do processo e a continuidade do mesmo” e que os detalhes serão anunciados em breve..

“Convocamos a todos para que rezem nesta intenção”, completa a nota.

 

Quem foi Pe. Léo?

Em uma autodefinição destacada pelo site da Comunidade Bethânia, Pe. Léo afirmou: “Sou um sujeito que desde criança quis ser padre; e muito pobre, tentei ir para o seminário, mas não fui aceito. Então fui trabalhar até conseguir ter roupas suficientes, fazer meu enxoval”.

“Fui para o seminário com 21 anos. Tinha namorada, fui noivo, e descobri a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, que é o que eu tento viver: Quero ser um homem do Coração de Jesus. Vivo no meio de jovens drogados, prostituídos, aidéticos. Tento ser um deles e eles me ensinam muito”.

Tarcísio Gonçalves Pereira, que posteriormente ficou conhecido como Pe. Léo, nasceu em 9 de outubro de 1961, em uma família humilde de Delfim Moreira (MG), no vilarejo de Biguá, local que veio a ser muito citado pelo sacerdote em suas pregações.

Era o nono filho Joaquim Mendes Pereira e Maria Nazaré Guimarães. Como ele mesmo contou, antes de ingressar no seminário, trabalhou muito, tendo atuado como torneiro mecânico e também em uma fábrica de armas.

Foi em 1982 que ingressou no seminário da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, em Lavras (MG). Fez seu noviciado em Jaraguá do Sul (SC), cursou Filosofia em Brusque (SC) e concluiu Teologia em Taubaté (SP).

Foi ordenado sacerdote em 1990 e, em 1995, fundou a Comunidade Bethânia, que tem como carisma o acolhimento de pessoas marginalizadas, dependentes químicos e vítimas da prostituição.

“Por meio desta comunidade, Pe. Léo nos ensinou a olhar o ser humano integralmente, em suas dimensões física, psico-afetiva e espiritual”, assinala o site da comunidade.

O sacerdote também teve ampla atuação na Renovação Carismática Católica (RCC), participante de vários eventos que atraiam multidões para ouvir suas pregações.

“Com seu jeito alegre e irreverente de ser, apaixonado pela Sagrada Escritura, utilizava-se de exemplos concretos e simples do dia a dia para chegar aos corações mais endurecidos. Utilizava linguagem simples, de fácil compreensão que prendia a atenção do ouvinte e ao mesmo tempo o convidava a uma experiência íntima com a pessoa de Jesus”, acrescenta o site.

Pe. Léo também atuou nos meios de comunicação, tendo publicado 27 livros e conduzido programas de televisão na Associação do Senhor Jesus e na Comunidade Canção Nova.

Em 4 de janeiro de 2007, partiu para a Casa do Pai, vítima de um câncer no sistema linfático.

Entretanto, mesmo quando estava doente, não deixou de lado sua missão evangelizadora. Em 2006 fez a sua última pregação no Hosana Brasil, da Comunidade Canção Nova, com o tema “Buscai as coisas do alto”.

Na ocasião, disse: “Quer ser feliz? Busque as coisas do Alto. Esta é a grande palavra que Deus trouxe ao meu coração neste tempo. A doença me tirou tudo: não consigo mais andar sozinho, não enxergo direito. Estou cego do olho direito e vejo apenas cerca de 40% com o olho esquerdo. Mas veio ao meu coração: ‘Ai de mim se eu não evangelizar’ (1 Coríntios 9,16b)”.

 

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/ultimo-minuto-arcebispo-autoriza-abertura-de-processo-de-beatificacao-de-pe-leo-26628/

Via: Site Cleofás
Anúncios

Vou casar novo!

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, óculos e atividades ao ar livreVou casar novo, casarei com menos de 30 anos mas com a alegria e o entusiasmo de uma criança.

Olha o “risco”: Me casarei sem um emprego público e a tal da “estabilidade financeira “, em tempos de “crise econômica/política “, com uma pessoa que não estará formada. Pra sociedade atual é um risco,não é a hora! Pergunta se eu ligo…

Chega um ponto do seu relacionamento que não dá mais pra namorar apenas, é amor demais, vive-se uma vontade incontrolável de fazer o outro mais feliz.

Nos casaremos no auge da nossa juventude e aos poucos vamos aprender a ser jovens mesmo quando o espelho disser o contrário.

Espero ser um pai jovem (tiozão) e acumular muitas histórias pra contar aos meus filhos. Espero ser um homem de Deus pra que minhas filhas não percam a fé na humanidade. Espero ser um esposo dedicado, companheiro, batalhador e honesto.

Será a realização de um sonho antigo, sempre quis casar! Como será? Sei de pouco, sonho muito e o que mais me motiva é o desejo em fazê-la feliz e construir uma FAMÍLIA. Nossa Sagrada Família.Me emociono só de imaginar como será (mesmo eu não sabendo). Submissão, brigas, amor, dificuldades, fé, felicidade, Viagens, crises… Resumindo: alguém que Deus envia pra dividir uma vida real. Conto de fadas não!

Se você está solteiro: entregue seu coração para Deus. Se está namorando: aproveite essa fase com respeito e dedicação ao outro. Pra você que é noivo: confie na Providência Divina. E pra você que é casado: meus parabéns, admiro sua coragem e busque em Deus as forças para encarar essa missão tão maravilhosa! Dedique-se ao outro! ❤️

(Lucas Medrado)

O Brasil está se decompondo por falta de Deus

Resultado de imagem para brasil oraçãoO Brasil só vai mudar de situação pelo derramamento do Espírito Santo. Apenas intervenções sociais e políticas não vão resolver. É claro que precisamos dessas intervenções, mas, para que o país dê uma reviravolta, como é necessário, só pelo Espírito Santo.

Jesus estava na Festa dos Tabernáculos, que os judeus celebram até hoje passando 40 dias em tendas. Para eles, essa festa não é somente uma recordação, mas um reviver, um memorial daquilo que eles viveram nos 40 anos no deserto, em direção à Terra prometida.

No último dia da festa, Jesus, com tanta ousadia, escolhe o lugar mais alto e grita: “Se alguém tem sede, venha a mim e bebaQuem crê em mim, do seu interior correrão rios de água viva” (Jo 7,37). Imagine o impacto que aconteceu naquele povo.

Jesus, a partir do batismo no rio Jordão, foi sendo conduzido pelo Espírito Santo, já não fazia mais nada por si mesmo. Ele, o Filho de Deus, sujeitou-se em tudo para que nós entendêssemos que isso também é para nós.

A nossa nação está se consumindo, estragando-se, e eu tenho a ousadia de dizer que está apodrecendo. E como sanar tudo isso? Por essa palavra que Jesus nos trouxe neste Evangelho: quem vê que tudo isso precisa mudar, venha a mim e beba, e do seu coração correrão rios de água viva.

Não estamos falando de santos e perfeitos, mas de todos que creem em Jesus.

Meus irmãos, a nossa nação, nossas instituições, só vão mudar pelo Espírito Santo. Se não tivermos, cada vez mais, homens e mulheres cheios do Espírito Santo, a coisa não vai melhorar.

Nós recebemos o Espírito para levá-lo aos outros. É o Senhor quem batiza, mas quem precisa falar d’Ele somos nós, quem precisa orar pelas pessoas somos nós. Você não precisa ser uma pessoa perfeita, mas apenas acreditar em Jesus. O Espírito Santo nos traz os dons próprios dele, para que os usemos em favor dos nossos irmãos.

O mundo está se decompondo por falta de Deus. As nações estão se perdendo por falta d’Ele. Ele nem faz mais parte da vida das pessoas que vivem em função deste mundo. É como se dissessem: “Nós temos tecnologia suficiente para conduzir o mundo, não precisamos de Deus”. Nos tempos antigos, cada um escolhia seu deus para cultuar, é isso que acontece hoje também.

O Brasil pode e precisa ser um celeiro de evangelização, porque somos cheios do Espírito Santo. O Brasil só vai mudar de situação pelo derramamento do Espírito Santo.

Deus o abençoe!

Via: Monsenhor Jonas Abib

A morte de São José: misteriosa, mas a mais sublime que se pode imaginar

Pode haver melhor passagem para a vida eterna do que entre os braços de Jesus e de Maria?

morte-de-sc3a3o-josc3a9Não há registros documentais da morte de São José, mas é comumente aceito que ele faleceu antes do início da vida pública de Jesus.

Nos primeiros séculos da Igreja, conforme narra Isidoro de Isolanis, costumava-se ler nas igrejas do Oriente, todo dia 19 de março, uma narração solene da morte do pai adotivo do Filho de Deus:

“Eis chegado para São José o momento de deixar esta vida. O Anjo do Senhor lhe apareceu e anunciou ter chegado a hora de abandonar o mundo e ir repousar com seus pais. Sabendo estar próximo o seu último dia, quis ele visitar, pela última vez, o Templo de Jerusalém, e lá pediu ao Senhor que o ajudasse na hora derradeira.

Voltou a Nazaré e, sentindo-se mal, recolheu-se ao leito, agravando-se em breve o seu estado. Entre Jesus e Maria, que o assistiam com carinho, expirou suavemente, abrasado no Divino Amor.

Oh, morte bem-aventurada! Como não havia de ser doce e abrasada no Divino Amor a morte daquele que expirou nos braços de Deus e da Mãe de Deus?

Jesus e Maria fecharam os olhos de São José.

E como não havia de chorar Aquele mesmo Jesus que choraria sobre a sepultura de Lázaro? ‘Vede como ele o amava!’, disseram os judeus. São José não era tão só um amigo, mas um pai querido e santíssimo para Jesus”.

A Igreja, que venera com carinho este santo de tão grande devoção dos cristãos, o reconhece como o padroeiro da boa morte.

Pode haver, afinal, melhor passagem para a vida eterna do que entre os braços de Jesus e de Maria?

Fonte: http://pt.aleteia.org/2016/01/18/a-morte-de-sao-jose-misteriosa-mas-a-mais-sublime-que-se-pode-imaginar/

Um Reino, uma vinha, um salário…

“O Reino do Céus é semelhante ao pai de família que saiu de manhã cedo para contratar trabalhadores para a sua vinha…” Tornou a sair pela hora terceira, pela hora sexta e pela hora nona… E até pela undécima hora, a última hora da jornada de trabalho… (cf. Mt 20,1-6)
O pai de família é o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que madruga na madrugada da história, que madruga na aurora da nossa vida para nos chamar para a Sua vinha, para o Seu Reino!

Como ser feliz fora da vinha? Como viver de verdade exilado do Coração do Pai?

Mas, o que é trabalhar na vinha? Pedro tinha perguntado antes a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e Te seguimos. Que receberemos?” (Mt 19,27) Trabalhar na vinha é seguir o Senhor, é colocar a vida na perspectiva do Reino que Ele veio trazer, é colocar-se disponível ao Seu santo serviço na vinha que é a Igreja, sinal e início do Reino: “Quem quer que tenha deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou terras por causa do Meu Nome, receberá muito mais” (Mt 19,29)

O Senhor chama a mim, chama a você: “Ide, também vós para a vinha!” (Mt 20,7). Chama com insistência, chama para que creiamos,
Chama para que vivamos Nele,
Chama para que, com os dons que Dele recebemos, nos coloquemos a serviço da Sua Igreja.
“Ide, também vós, para a vinha, e Eu vos darei o que for justo!” (Mt 20,4)

Caro Amigo, escute com um coração que escuta o convite do Senhor!
Olhe sua vida, veja sua disponibilidade, observe como ocupa seu tempo e utiliza seus dons…
Lembre: “O Reino dos Céus é” assim:
um chamado teimoso, nas horas menos esperadas da jornada da vida,
uma vinha,
um sim ou um não…

“Ide! Eu vos darei o que for justo…”(Mt 20,4)

Que o Dono da vinha lhe dê coragem!

Um santo Domingo!
Uma semana abençoada!

Henrique Soares da Costa