Assunção e Ascensão: qual é a diferença?

15 de agosto é o dia da Solenidade da Assunção da Santíssima Virgem Maria ao céu, um dia de preceito para os católicos, porém, no Brasil a festa é transferida para o domingo seguinte para que todos vivam melhor esse dia.

Nesta grande festa a Igreja recorda que Maria, ao final de sua vida terrena, foi levada em corpo e alma ao céu, onde habita junto de Deus. Isto é diferente ao que acontece com a maioria dos cristãos, cujos corpos permanecem na terra, enquanto suas almas vão para o céu.

Mas por que chamamos este milagre de “Assunção”? Jesus também subiu ao céu em corpo e alma, mas para Ele usamos o termo “Ascensão”.

A diferença está no modo que chegaram ao céu

Jesus Cristo é o Filho de Deus feito homem, com ambas as naturezas: humana e divina. Quando Ele foi ao céu, fez com seu próprio poder. Ninguém é capaz de ir ao céu com suas forças, apenas Jesus, que é Deus.

Já a Virgem Maria, é uma criatura de Deus, dependente inteiramente da graça de Deus para tudo. Ela não foi ao céu com seu próprio poder, mas foi levada ao céu por Deus. Quer dizer, foi agente passivo do milagre, Maria foi assunta ao céu.

A teologia católica, geralmente, é muito cuidadosa com estas palavras. Pequenas diferenças em terminologia podem ter enormes implicações quanto a seu real significado.

Bendita seja a Santíssima Virgem Maria e que do céu ela continue intercedendo por nós!

 

Via ChurchPOP

Como rezar a Quaresma de São Miguel Arcanjo?

O próprio nome de São Miguel (Quem é como Deus?) é uma demonstração de fidelidade e de humildade.

Resultado de imagem para são miguel arcanjo

Hoje é 15 de agosto, dia da Assunção de Nossa Senhora (que no Brasil é celebrada no Domingo seguinte, quando o dia 15 não cair em um Domingo), começamos a rezar a Quaresma de São Miguel Arcanjo. Mas para que rezar essa quaresma? Qual o sentido desta devoção? Em que isso pode melhorar nossa vida?

Para responder essas perguntas, cito uma explicação do Padre Luizinho, aqui da Comunidade Canção Nova: “As devoções devem nos ajudar a viver melhor a nossa fé e o nosso relacionamento com Deus. Esse é o primeiro motivo pelo qual devo ter e rezar as santas devoções e também para interceder pelas minhas causas e pelas causas de meus irmãos. Uma devoção sadia nunca ocupa o lugar das praticas essenciais de nossa fé, como participar da Eucaristia Dominical, dos Santos Sacramentos, da leitura da Palavra de Deus e a pratica da Caridade. O maior fruto das nossas devoções é ter um coração cada vez mais aberto para Deus e para os irmãos.”

Não perca tempo! Faça a experiência de viver um tempo forte de oração e retomada na caminhada de santidade. São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!


Como rezar?

Para se preparar para esta quaresma é necessário:

  • Acender uma vela abençoada diante de uma imagem ou estampa do Arcanjo.
  • Oferecer uma penitência durante os 40 dias.
  • Fazer o sinal da cruz.
  • Rezar estas orações todos os dias.

Versão para impressão (123 KB, PDF)

 Versão em áudio (2,9 MB, MP3)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Amém.

Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós! (3x)

LADAINHA DE SÃO MIGUEL

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo ouvi-nos. Jesus Cristo atendei-nos.
Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, Redentor do Mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa, que sois um único Deus, tende piedade de nós.

Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, rogai por nós.
São Miguel, cheio da graça de Deus, rogai por nós.
São Miguel, perfeito adorador do Verbo Divino, rogai por nós.
São Miguel, coroado de honra e de glória, rogai por nós.
São Miguel, poderosíssimo Príncipe dos exércitos do Senhor, rogai por nós.
São Miguel, porta-estandarte da Santíssima Trindade, rogai por nós.
São Miguel, guardião do Paraíso, rogai por nós.
São Miguel, guia e consolador do povo israelita, rogai por nós.
São Miguel, esplendor e fortaleza da Igreja militante, rogai por nós.
São Miguel, honra e alegria da Igreja triunfante, rogai por nós.
São Miguel, Luz dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, baluarte dos Cristãos, rogai por nós.
São Miguel, força daqueles que combatem pelo estandarte da Cruz, rogai por nós.
São Miguel, luz e confiança das almas no último momento da vida, rogai por nós.
São Miguel, socorro muito certo, rogai por nós.
São Miguel, nosso auxílio em todas as adversidades, rogai por nós.
São Miguel, arauto da sentença eterna, rogai por nós.
São Miguel, consolador das almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, a quem o Senhor incumbiu de receber as almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, nosso Príncipe, rogai por nós.
São Miguel, nosso Advogado, rogai por nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, atendei-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Rogai por nós, ó glorioso São Miguel, Príncipe da Igreja de Cristo, para que sejamos dignos de Suas promessas.

Senhor Jesus, santificai-nos, por uma bênção sempre nova, e concedei-nos, pela intercessão de São Miguel, esta sabedoria que nos ensina a ajuntar riquezas do Céu e a trocar os bens do tempo presente pelos da eternidade. Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.

  • Um ‘Pai Nosso’ em honra de São Gabriel Arcanjo.
  • Um ‘Pai Nosso’ em honra de São Miguel Arcanjo.
  • Um ‘Pai Nosso’ em honra de São Rafael Arcanjo.

Gloriosíssimo São Miguel, chefe e príncipe dos exércitos celestes, fiel guardião das almas, vencedor dos espíritos rebeldes, amado da casa de Deus, nosso admirável guia depois de Cristo; vós, cuja excelência e virtudes são eminentíssimas, dignai-vos livrar-nos de todos os males, nós todos que recorremos a vós com confiança, e fazei pela vossa incomparável proteção, que adiantemos cada dia mais na fidelidade em servir a Deus.

V. Rogai por nós, ó bem-aventurado São Miguel, príncipe da Igreja de Cristo.

R. Para que sejamos dignos de suas promessas.

Deus, todo poderoso e eterno, que por um prodígio de bondade e misericórdia para a salvação dos homens, escolhestes para príncipe de Vossa Igreja o gloriosíssimo Arcanjo São Miguel, tornai-nos dignos, nós vo-lo pedimos, de sermos preservados de todos os nossos inimigos, a fim de que na hora da nossa morte nenhum deles nos possa inquietar, mas que nos seja dado de sermos introduzidos por ele na presença da Vossa poderosa e augusta Majestade, pelos merecimentos de Jesus Cristo, Nosso Senhor.

CONSAGRAÇÃO A SÃO MIGUEL ARCANJO

sao-miguel-arcanjoÓ Príncipe nobilíssimo dos Anjos, valoroso guerreiro do Altíssimo, zeloso defensor da glória do Senhor, terror dos espíritos rebeldes, amor e delícia de todos os Anjos justos, meu diletíssimo Arcanjo São Miguel, desejando eu fazer parte do número dos vossos devotos e servos, a vós hoje me consagro, me dou e me ofereço e ponho-me a mim próprio, a minha família e tudo o que me pertence, debaixo da vossa poderosíssima proteção.

É pequena a oferta do meu serviço, sendo como sou um miserável pecador, mas vós engrandecereis o afeto do meu coração; recordai-vos que de hoje em diante estou debaixo do vosso sustento e deveis assistir-me em toda a minha vida e obter-me o perdão dos meus muitos e graves pecados, a graça da amar a Deus de todo coração, ao meu querido Salvador Jesus Cristo e a minha Mãe Maria Santíssima, obtende-me aqueles auxílios que me são necessários para obter a coroa da eterna glória.

Defendei-me dos inimigos da alma, especialmente na hora da morte. Vinde, ó príncipe gloriosíssimo, assistir-me na última luta e com a vossa arma poderosa lançai para longe, precipitando nos abismos do inferno, aquele anjo quebrador de promessas e soberbo que um dia prostrastes no combate no Céu.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate para que não pereçamos no supremo juízo.

Amém.

 


  São quarenta dias de Oração e intercessão junto a são Miguel Arcanjo. Clique em comentários e deixe os seus pedidos de orações.


Que Deus nos abençoe.
Até a próxima.

Cleber Rodrigues
Comunidade Canção Nova

COMO A REDE GLOBO E A ESQUERDA ESTÃO TRABALHANDO PARA DESTRUIR A FÉ CRISTÃ

A décadas como líder absoluta de audiência, a Rede Globo, assim como todo o aparato de comunicação das Organizações Globo, vem trabalhando de modo incansável e sistemático para destruir os valores cristãos.

Através de suas novelas, diversos programas e influenciadores de opinião, convenceram de modo engenhoso a maior parte da população brasileira a rejeitar os ensinamentos da fé cristã e a acolherem como algo bom a pauta revolucionária, como por exemplo a não geração ou a diminuição dos filhos, o que justificaria a alegre aceitação e uso dos contraceptivos artificiais como a pílula, camisinha esterilização e mesmo o aborto.

As novelas da Rede Globo apresentam o divórcio como uma solução fácil e um direito das pessoas que não foram felizes em um primeiro (ou segundo) relacionamento.

As mulheres apresentadas pela Rede Globo são independentes ou estão em busca dessa independência, razão pela qual não têm filhos, ou nas poucas vezes que os tenha, não passam um ou dois, de modo que não atrapalhem a carreira profissional ou a vida acadêmica da mulher.

A Globo sempre se esmerou em ridicularizar a família tradicional e especiamente o papel da mulher como mãe, esposa e cuidadora de seu lar, mostrando as mulheres que assim vivem como pessoas frustradas, infelizes e subjugadas pelos seus maridos…ou seja, um exemplo a ser evitado a todo custo.

Foi por obra e desgraça da Rede Globo, que o divórcio entrou em nossa legislação; que as pessoas passaram a aceitar como normal a prática homossexual; a verem como possível as muitas outras “formas de família”.

A Globo contribuiu enormemente para mudar a mentalidade dos brasileiros, levando-os a desprezarem a sua fé e sobretudo a moral cristã, de modo que caíram na desgraça do egoísmo, justificando assim o divórcio em nome do “direito de ser feliz”, ainda que esta “felicidade” fosse às custas da destruição da felicidade dos filhos e da(o) esposa(o)…
Também foi por causa desse egoísmo doentio que muitos passaram a justificar a não aceitação de mais filhos, alegando o direito a ter um maior conforto, e sobretudo o desejo de *”dar uma vida melhor”* aos poucos filhos que por ventura tiveressem… não se importando a mínima para a ordem do criador aos que se casam: *”crescei e multiplicai-vos”*.

Nos lares onde a Rede Globo se instalou como fonte de informação e formação, a Lei de Deus foi sendo gradualmente banida.
Os cristãos, muitas vezes sem o perceber, na prática, foram renegando a Deus os ensinamentos; e ironicamente se tornaram os financiadores da destruição de sua própria religião, assim como de sua família, de sua vida e da sociedade.

São realmente muito poucos que se dão conta da loucura que aconteceu, literalmente diante de nossos olhos…de como nosso povo acolheu e com entusiasmo patrocinou a sua própria destruição.
A grande maioria não percebe que quem liga a televisão para assistir as novelas da Globo ou similares, está dando audiência para satanás e financiando a disseminação de ideias completamente contrárias ao que Jesus ensinou…e essas mesmas pessoas se consideram gente de “muita fé”…e muito vão a missa e…comungam o Santíssimo Corpo de Deus…a cegueira é muito grande; e a contradição maior ainda.

Foi a Globo que possibilitou a ascensão da esquerda revolucionária e do consequente surgimento desse caos social do qual hoje somos vítimas.
Isso, através da ridicularização dos valores cristãos, especialmente da família tradicional, fazendo as pessoas acreditarem que seria um preconceito intolerável ser contra a prática homossexual, a ideologia gay ou o movimento LGBT, de modo que as pessoas não reagiagissem a pauta revolucionária por medo de serem duramente atacadas e estigmatizadas por isso.

Claro que esse avanço extraordinário do mal só foi possível graças a apatia, omissão e falta de profetismo da maior parte do clero, que além de não denunciar o perigo e o mal promovido por essa emissora do cão, em muitos casos apoiou as pautas e programações da mesma.

A falta de denúncia por parte dos padres e bispos e falta de formação doutrinária e moral básicas dos fiéis possibilitou que o mal avançasse sem muita resistência.

Hoje, há um número maior de pessoas que têm se despertado para o mal que a Rede Globo e emissoras semelhantes foram e são para nosso povo e nossas famílias, mas ainda estamos muito longe da liberação da grande maioria que não quer sair dessa “Matrix”.

Que Deus tenha misericórdia de seu povo e lhe dê santos pastores e profetas para desperta-lo, pois o caos já está instalado e o inferno vai se enchendo sempre mais.

Via: Pe. Rodrigo Maria.

A mulher católica e o feminismo

Por Tatiana Maria Guedes

hqdefault (2)Querendo a todo custo transformar a mulher num novo homem e o homem numa nova mulher, a sociedade moderna relativista está, inegavelmente, perdendo seus valores. “O homem e a mulher são criados, isto é, são queridos por Deus: por um lado, em perfeita igualdade como pessoas humanas e, por outro, em seu ser respectivo de homem e de mulher”. (cf. CIC §369). Ou seja, homem e mulher são iguais enquanto pessoas; em dignidade, porém, diferentes e complementares enquanto masculino e feminino. E essa diferença é querida por Deus. Foram criados para se complementarem, para serem “ajuda” um para o outro. Lutar de todas as formas para que a mulher ocupe, a qualquer custo, o lugar do homem é lutar contra o projeto da criação de Deus; contra o plano divino para cada um de nós. O feminismo traz uma falsa ideia de liberdade da mulher.

Essa ideologia que, aparentemente, está a favor das mulheres, nada mais faz do que tirar delas o que lhes pertence por natureza; por criação: a vocação à maternidade e ao amor; ser mulher na plenitude querida por Deus. A exaltação dos métodos anticoncepcionais que se configurou, erroneamente, como um passo importante para a aquisição da liberdade da mulher, a transformou nada mais do que em um objeto de prazer próprio e dos outros, sem a preocupação de possíveis consequências como a gravidez, a responsabilidade e o compromisso.

O que se vê com isso são mulheres frustradas, vazias de sentido e numa busca frenética e em vão de serem o que não são só para se sentirem melhores e aceitas. Onde está a liberdade e a felicidade nisto? “Diferente da do varão é a constituição da mulher; mais, sabemos hoje que é diferente até às determinantes biofisiológicas mais profundas. Manifesta-se exteriormente só em certa medida, na construção e na forma do corpo. A maternidade manifesta tal constituição dentro de si, como particular potencialidade do organismo feminino, que devido à capacidade criadora serve para a concepção e geração do ser humano, com o concurso do varão. O ‘conhecimento’ condiciona a geração.” (São João Paulo II, Teologia do Corpo).

A mulher é muito mais do que um pedaço de carne destinado ao uso exclusivo pela busca do prazer e que pode ser, depois, descartado. Por meio da mulher, da sua modéstia, pureza e feminilidade podemos perceber a obra-prima da perfeita criação de Deus. O feminismo é contrário à nossa fé. Não devem e, mais ainda, não podem existir católicos que levantem a bandeira do feminismo pensando poder conciliar. Não! Ao querer emancipar a mulher à qualquer custo, o feminismo exclui a essência natural da mulher, reduzindo-a a uma imitação esdrúxula do modo de ser do homem.

O feminismo se opõe à criação de Deus; ao plano divino do Criador. Tenhamos coragem de nos levantar contra este atentado à natureza humana. A mulher católica não deve se render ou ser conivente com o feminismo. Ao contrário, devemos levantar nossas vozes, defender nossos valores e dar testemunho cristão com nossa postura e coragem, recuperando o nosso lugar na Criação, sendo mulheres em toda a nossa plenitude.

Via Kevin Eger

MOVIMENTO TRADICIONAL CATÓLICO E TRADICIONALISMO SECTÁRIO:

Alguns critérios para distinguir um adepto da Tradição de um membro de seitas sectárias

1- Quem não aceita e não se submete ao Magistério da Igreja não é mais Católico, seja tradicionalista ou progressista, mas membro de uma seita, cujos adeptos deixaram a condição de filhos da Igreja para se arvorarem em juízes da mesma… exatamente o que fez Lutero, Leonardo Boff e Cia;


2- Há movimentos tradicionais que são totalmente católicos, pois respeitam e aceitam a autoridade do Magistério
, razão pela qual embora prefiram a missa Tridentina, não renegam a validade, nem a sacralidade da Missa Nova; embora tenham críticas ao Concílio ou à falta de precisão em algumas partes de seu texto, não dizem que em si seja algo mal, mas o reconhecem como 21° Concílio Ecumênico promulgado de modo válido pela autoridade da Igreja;


3- Reconhecer a validade ou bondade do Concílio Vaticano II, não significa aprovar ou concordar com as falsas interpretações e a revolucionária aplicação do mesmo que se seguiu no período pós conciliar o que muito contribuiu para mergulhar a Igreja nessa profunda apostasia que hoje presenciamos, mas significa tão somente reconhecer que o Concílio e seu texto PODE e DEVE ser interpretado dentro da contínua Tradição da Igreja,
 de modo que, qualquer interpretação que fuja disso, deixa de ser Católica;

O Concílio Vaticano II não é dogmático.

Embora possua Constituições Dogmáticas, o mesmo se declarou Pastoral, sendo assim passível de equívocos e portanto de críticas construtivas, conforme a palavra de Bento XVI.
O fato de ser criticável, especialmente em alguns pontos ambíguos de seu texto e em algumas análises que eram circunstânciais e sobretudo em sua posterior aplicação prática, não tira sua sacralidade e sua catolicidade, pois existe uma interpretação correta para o texto dentro da Tradição contínua da Igreja.

Há um modo correto e Católico de se ler o texto conciliar. Isso se chama “Hermenêutica da Continuidade”.

É desonesto tomar uma falsa interpretação do Concílio dada pelos modernistas adeptos da hermenêutica da descontinuidade e atribuí-la a Igreja acusando-a de promover o erro através do Concílio, quando na verdade aquela NÃO é a interpretação da Igreja, nem foi a intenção dos padres conciliares em sua grande maioria.

Foi contra essa falsa interpretação e contra a injusta crítica que Bento XVI tantas vezes falou.

Portanto quando a Igreja afirma que a rejeição da autoridade da Igreja te faz deixar de ser católico é a isso que se refere.

O que todos nós devemos aceitar do Concílio é o que o Igreja ensinou e não a caricatura que progressistas e/ou tradicionalistas sectários apresentam.

-Não é verdade que o Concílio defenda o Ecumenismo relativista, essa é a errônea interpretação dos progressistas e também dos tradicionalistas sectários;

O Concílio NÃO relativiza a verdade de que a Igreja Católica é a única fundada por Nosso Senhor… O eterno “Extra Eclésia nula Salus”, ao contrário reafirmam os detratores, está afirmado com todas as letras na Constituição Dogmática Lumen Gentium que ensina que os que sabendo que essa é a verdadeira Igreja de Cristo, nela não entrarem ou nela não perseverarem não poderão se salvar;

Os padres conciliares ao falarem da “liberdade religiosa” tinham em mente a Igreja que estava privada de se manifestar e estava sendo perseguida em Estados totalitários comunistas, não a aprovação da ideia de que o Estado tem que reconhecer todo e qualquer culto;

E assim vai…

Portanto uma coisa foi o que os padres conciliares quiseram dizer e a Igreja aprovou e outra foi a interpretação que foi dada posteriormente e que, infelizmente acabou prevalecendo na maioria dos lugares…

O único remédio para que isso não acontecesse seria a Hermenêutica da Continuidade, a interpretação do Concílio dentro da doutrina católica de sempre. Mas como se sabe essa corrente não prevaleceu..

É falso dizer que a disciplina atual e também a Missa Nova se basearam em uma “areia movediça”. O que a Igreja sempre acreditou continuou sendo a mesmíssima coisa, com mudanças apenas no que é acidental.

Mas não seria o Concílio passivo de ser rejeitado devido os vários pontos dúbios de seu texto?

Evidentemente que NÃO, pois como já foi dito, a falsa interpretação nunca foi a doutrina da Igreja, mas a de seus traidores ou detratores.

Se queremos ajudar deveríamos fazer ver que, após o Concílio, a interpretação que a maior parte dos padres e bispos deram ao texto do Concílio foi falsa, não correspondendo a intenção da Igreja e da maior parte dos padres conciliares.

Não se pode negar essa fraqueza do texto que é ambíguo em muitos pontos e não claro em outros, se prestando a confusões e falsas interpretações, razão pela qual é tão criticável. Mas por outro lado não podemos absorver a falsa interpretação e rejeitar o Concílio como um todo por conta disso, pois nesse caso, o que entra em questão, mais do que o texto em si, é a autoridade da Igreja que o aprovou, de modo que rejeita-la é deixar de ser católico.


4- Reconhecer a validade e a sacralidade da Missa Nova, também não significa ignorar a infiltração maçônica ou a presença de protestantes na qualidade de observadores na Comissão de elaboração do Novus Ordo, mas significa não ignorar que também havia ali homens doutos e santos e que a Igreja ao aprovar e instituir o Novus Ordo não o fez convalidando qualquer intenção maligna ou herética de seus inimigos; significa enfim, o reconhecimento que a Igreja estabeleceu um rito, que é também, o oferecimento do verdadeiro Sacrifício do Calvário.
 O fato de se admitir, e mesmo lutar, para que este possa ser revisto afim de se modificar algumas partes para significar ou explicitar melhor a percepção do Sacrifício, em nada muda a verdade de que a Missa Nova é também o Santo Sacrifício do Altar;


5- Quem não aceita a autoridade da Igreja que promulgou o Concílio e estabeleceu o Novus Ordo, não é mais Católico.

Se negamos a sacralidade ou a validade de um rito instituído pela Igreja (seja o Antigo, o Novo ou qualquer outro), rejeitamos a autoridade que estabeleceu todos os ritos, caindo um exclusivismo sectário que não é Católico.

Evidente que aqui não nos referimos aos preferem ir a Missa Tridentina, ainda que apenas a essa, mas não desprezam o Novus Ordo, nem o têm em conta de inválido ou herético, mas o reconhece como um dos muitos ritos estabelecidos pela Santa Igreja.

O problema não são as críticas, das quais a Missa Nova (mas não apenas este Rito) é passível, mas na rejeição de sua validade ou sacralidade, assim como a não aceitação de que a Igreja tem autoridade para criar ou modificar ritos…

Se o Novus Ordo fosse ruim o Papa Bento XVI não o celebraria, assim como outros homens íntegros na fé como Cardeal Robert Sarah, Cardeal Burke, Cardeal Carlo Cafarra, Dom Atanasius Schneider e tantos outros… ou eles não celebram a Missa Nova?

Há cite a Bula “Quo Primum” de São Pio V para dizer que ali foi determinado que o Rito Tridentino era irretocável in eternum…

Ignoram esses que um Rito não é um dogma de fé e que o Papa tem poder não apenas de ligar, mas também de desligar, razão pela qual o próprio Concílio de Trento afirma que somente a Igreja tem autoridade para estabelecer um rito.

Antes de Paulo VI, o grande Papa São Pio X já havia modificado o Rito Tridentino, ainda que muito pouco, assim como João XXIII, pois a Igreja tem autoridade para tal… se isso foi o melhor ou não é outra discussão…


6- Os tradicionalistas sectários que só aceitam a missa Tridentina, não são católicos, pois caíram na “ritolatria”…
 adoram um rito e não a Jesus Cristo que em todos os ritos aprovados pela Igreja se faz presente;


7- A característica mais evidente das seitas, sejam elas quais forem, é o fechamento em si mesmas e o desprezo a todos os que são diferentes,
 ainda que legitimamente diferentes.
Desprezam a autoridade estabelecida e seguem determinados “gurus” que se tornam para os membros da dita seita mais infalíveis que o Sagrado Magistério…

Ora, a coisa mais absurda nas seitas tradicionalistas é o fato de desprezarem a autoridade da Igreja e mesmo a Lei de Deus, para seguirem seus próprios preceitos…

Esses indivíduos(as) têm convencido muitas pessoas, especialmente jovens mal formados na fé da Igreja, a deixarem de observar o preceito dominical a pretexto de que a Missa Nova não é válida ou é herética… Tenho visto muitas pessoas ficarem sem Confissão e sem a S.S. Eucaristia por causa da irresponsável orientação dos membros dessas seitas. Muitos desses têm vivido em pecado mortal porque não se confessam com “padres modernistas” (ou seja, qualquer um que celebre a missa Nova), permanecendo no perigo de assim morrerem e irem para o quinto dos infernos por conta dessa estupidez…

Outros têm se crismado de novo, alegando que a Crisma no Novus Ordo não é válida…

Quanta loucura!!!

Os líderes dessas seitas e todos quantos têm afastado as pessoas da graça de Deus e da unidade com a Santa Igreja, por conta dessas falsas ideias, terão que responder perante Deus pelos que arrastaram para a desgraça a pretexto de “guardar a pureza da ortodoxia”.


8- Os membros das seitas utilizam-se frequentemente de mentiras, falsificações, distorções e de muitas outras fraudes para arregimentar e convencer seus adeptos.

Nesse quesito são exatamente iguais ou piores do que muitos grupos protestantes: observam os muitos erros e abusos que acontecem e colocam tudo na conta da Igreja, como se a mesma concordasse ou promovesse os abusos e heresias vigentes…

Entre eles há sempre essa desonestidade intelectual.

Há também os idiotas úteis que repetem, como papagaios os mesmos erros, porém com boa vontade, uma vez que foram convencidos por algum membro da seita de que aquela falsa doutrina é a verdade;


9-
 Não é rejeitando a autoridade do Magistério da Igreja que iremos resolver a situação caótica na qual nos encontramos.

Somente os santos colaboram para uma verdadeira restauração da Igreja… basta ver a história para comprová-lo… porém, JAMAIS HOUVE UM GRANDE HOMEM OU MULHER QUE TENHA SE SANTIFICADO FORA DA IGREJA.

Aconteça o que acontecer devemos estar na Igreja, nela sofrer e por ela lutar.

Quem não aceita a autoridade da Igreja, se coloca fora da mesma… não é possível ajudar a salvar a Igreja estando fora dela.

 

10- Membros de seitas tradicionalistas estão entrando nas redes sociais em grupos católicos, especialmente de consagrados a Nossa Senhora, para disseminarem essa ideias errôneas e conquistar novos adeptos; *assim fazem pelo fato de que, normalmente os consagrados são pessoas que amam a Tradição: O latim, o véu, a modéstia, a missa corretamente celebrada (seja Tridentina ou Nova), que aliás, é algo da Igreja e não propriedade de seitas tradicionalistas. Entretanto a grande maioria destes consagrados não têm suficiente formação para compreender a problemática atual na qual se encontra a Igreja, de modo que são facilmente envolvidos e confundidos pelos membros das seitas.

Toda essa situação tem sido bem aproveitada pelo diabo para prejudicar a tão necessária difusão da Total Consagração, uma vez que algumas pessoas consagradas, assumindo as falsas ideias de seitas tradicionalistas começam a atacar a Igreja, a rejeitar a Missa Nova e o Concílio Vaticano II, a faltarem a missa por e rejeitarem os demais sacramentos celebrados no Novus Ordo considerando-os como heréticos ou inválidos, fornecendo assim muita munição para os padres e bispos progressistas rejeitarem e atacarem (ainda que seja imoral e desonesto) coisas tão santas e agradáveis a Deus a pretexto de combaterem os “abusos”…

Por essa razão os membros dessas seitas devem ser identificados e expurgados de todos os grupos verdadeiramente católicos, pois não estão ali para aprender ou compartilhar a fé da Igreja como a Igreja o entende, mas para promover suas teses, ganharem adeptos e causarem confusão e divisão diabólicas;

11- Os membros de seitas tradicionalistas são hoje um dos principais obstáculos para um retorno mais forte à Tradição, pois põe abaixo o princípio da unidade, bem como do respeito a autoridade estabelecida.

E quando falo aqui sobre respeito, unidade e obediência, me refiro a forma como a Igreja o entende, ou seja, devemos seguir e obedecer as autoridades desde que estas estejam mandando conforme a Igreja; pois não se deve seguir ou obedecer uma autoridade naquilo que esta não esteja de acordo com a doutrina de sempre ensinada pelo Magistério da Igreja ou quando manda algo que não seja de sua competência… Mas, se a autoridade manda conforme a Igreja, então devemos obedecer.

Os membros das seitas não reconhecem, nem obedecem ao Magistério da Igreja.

12- Quem são os membros das seitas a que me refiro? Onde estão ou quais os nomes de seus grupos?

São todos aqueles que se enquadram no que acima foi descrito, independentemente de grupos ou movimentos.

Autor: Pe. Rodrigo Maria

TENHAM FILHOS

maxresdefault-2“Se eu pudesse dar só um conselho para os meus amigos, seria esse: tenham filhos. Pelo menos um. Mas se possível, tenham 2, 3, 4… Irmãos são a nossa ponte com o passado e o porto seguro para o futuro. Mas tenham filhos.

Filhos nos fazem seres humanos melhores. 

O que um filho faz por você nenhuma outra experiência faz. Viajar o mundo te transforma, uma carreira de sucesso é gratificante, independência é delicioso. Ainda assim, nada te modificará de forma tão permanente como um filho.

Esqueça aquela história de que filhos são gastos. Filhos te tornam uma pessoa com consumo consciente e econômica: você passa a comprar roupas na Renner e não na Calvin Klein, porque no fim, são só roupas. E o tênis do ano passado, que ainda tá novinho e confortável, dura 5 anos… Você tem outras prioridades e só um par de pés.

Você passa a trabalhar com mais vontade e dedicação, afinal, existe um pequeno ser totalmente dependente de você, e isso te torna um profissional com uma garra que nenhuma outra situação te daria. Filhos nos fazem superar todos os limites.

Você começa a se preocupar em fazer algo pelo mundo. Separar o lixo, trabalho comunitário, produtos que usam menos plástico… Você é o exemplo de ser humano do seu filho, e nada pode ser mais grandioso que isso.

Sua alimentação passa a importar. Não dá pra comer chocolate com coca-cola e oferecer banana e água pra ele. Você passa a cuidar melhor da sua saúde: come o resto das frutas do prato dele, planta uma horta pra ter temperos frescos, extermina o refrigerante durante a semana. Um filho te dá uns 25 anos a mais de longevidade.

Você passa a acreditar em Deus e aprende como orar. Na primeira doença do seu filho você, quase como instinto, dobra os joelhos e pede a Deus que olhe por ele. E assim, seu filho te ensina sobre fé e gratidão como nenhum padre/pastor/líder religioso jamais foi capaz.

Você confronta sua sombra. Um filho traz a tona seu pior lado quando ele se joga no chão do mercado porque quer um pacote de biscoito. Você tem vontade de gritar, de bater, de sair correndo. Você se vê agressivo, impaciente e autoritário. E assim você descobre que é só pelo amor e com amor que se educa. Você aprende a respirar fundo, se agachar, estender a mão para o seu filho e ver a situação através de seus pequenos olhinhos.

Um filho faz você ser uma pessoa mais prudente. Você nunca mais irá dirigir sem cinto, ultrapassar de forma arriscada ou beber e assumir a direção, pelo simples fato de que você não pode morrer (não tão cedo)… Quem é que criaria e amaria seus filhos da mesma forma na sua ausência?! Um filho te faz mais do que nunca querer estar vivo.

Mas, se ainda assim, você não achar que esses motivos valem a pena, que seja pelo indecifrável que os filhos têm.

Tenha filhos para sentir o cheiro dos seus cabelos sempre perfumados, para ter o prazer de pequenos bracinhos ao redor do seu pescoço, para ouvir seu nome (que passará a ser mãmã ou pápá) sendo falado cantado naquela vozinha estridente.

Tenha filhos para receber aquele sorriso e abraço apertado quando você chegar em casa e sentir que você é a pessoa mais importante do mundo inteirinho pra aquele pequeno ser. Tenha filhos para ganhar beijos babados com um hálito que listerine nenhum proporciona. Tenha filhos para vê-los sorrirem como você e caminharem como o pai, e entenda a preciosidade de se ter uma parte sua solta pelo mundo. Tenha filhos para re-aprender a delícia de um banho cheio de espuma, de uma bacia de água no calor, de rolar com o cachorro, de comer manga sem se limpar.

Tenha filhos.

Sabendo que muito pouco você ensinará. Tenha filhos justamente porque você tem muito a aprender. Tenha filhos porque o mundo precisa que nós sejamos pessoas melhores ainda nessa vida.”

Bruna Estrela

Alerta de textão… Sobre o beijo de língua

Como pediram em um post, vou procurar demonstrar através do ensinamento da Igreja, e dos ensinamentos dos teólogos, que o beijo de língua é sim um pecado e não depende de ser ou não uma ocasião de pecado…

Parto de dois princípios, o primeiro é o argumento do Pe Lodi e do Pe Paulo Ricardo, e o segundo um argumento que ouvi uma vez de pessoas que participaram de um retiro para jovens na obra dos Santos Anjos…

O argumento do Pe Lodi, que também é usado pelo padre Paulo Ricardo no vídeo que ele fez a respeito, parte do seguinte princípio: O Beijo é uma prévia para o ato sexual. Oras, sendo uma prévia do ato sexual qual é o sentido de beijar-se de língua? Ter uma prévia da relação sexual, sendo que ela não vai ser completada? Logo, partindo deste princípio, não é que o ato de beijar é pecado dependendo da situação e da pessoa, mas o simples ato de beijar de língua fora da união matrimonial, já em si pecaminoso.

Por outro lado o argumento da Obra dos Santos Anjos, parte da ideia de que o beijo de língua desde a antiguidade é considerado uma maneira de duas almas se unirem. É uma união que vai além do ato meramente físico para apontar para o Céu. Como qualquer ato sexual feito fora da relação sexual carece de sacralidade e carece de significado espiritual, assim também um beijo de língua, não é mais do que um refúgio dos que querem se resguardar sexualmente até o casamento, mas que no fundo acaba tão sem significado e portanto tão pecaminoso, quanto o próprio Ato sexual.

Um terceiro ponto que gostaria de levantar é sobre a opinião dos Moralistas. Os moralistas são unânimes em condenar o beijo de língua, mas por outro lado eles levantam algumas brechas para outro tipos de beijos, desde que não levem ao risco de pecar. Veja que interessante. Se os moralistas não considerassem o próprio ato de beijar de língua como pecaminoso, qual seria o sentido deles levantarem uma brecha para beijos (não de língua) e abraços em algumas situações, sendo que para o beijo de língua eles nunca foi levantaram nenhuma brecha? Portanto, baseado em tais argumentos é evidente que o pecado do beijo de língua não pode ser considerado subjetivo (ou relativo como queiram), mas é em si já um ato pecaminoso.

Além do mais os beijos de língua normalmente são dados com o intuito de despertar ao menos o prazer sexual, mesmo que posteriormente a relação sexual não seja levada a cabo. Neste sentido o Magistério da Igreja já condenou teses de moralistas laxistas que diziam que o beijo de língua não passava de pecado venial:

Um documento de autoria de Alexandre VII, censurava como escandalosa e portanto proibia a seguinte opinião:

40. É opinião provável a que diz que o beijo dado
pelo prazer carnal e sensível que provém do beijo é
somente pecado venial, desde que se exclui o perigo
de um envolvimento posterior e da polução. (Denzinger 2060)

Portanto quando falamos de beijo de língua não estamos apontando uma opinião onde haja liberdade para falarmos o que quisermos, ou mesmo estamos tratando de uma questão relativa. O Beijo de língua é objetivamente um pecado e à Igreja já se manifestou sobre isso. Não tem choro. É procurar mudar e viver segundo nos manda a santa Madre Igreja.”

 

Autor: Luiz Felipe Nanini