Dom Jean-Clément Jeanbart, Arcebispo do Aleppo (Síria) enviou uma carta de agradecimento aos fiéis franceses por terem participado da iniciativa de ChristianBells de tocarem os sinos das igrejas na França no dia da Assunção da Virgem (15 de agosto) a fim de manifestar seu apoio aos cristãos perseguidos no Oriente Médio.Para o Arcebispo, a iniciativa #ChristianBells animou muito a fé dos cristãos no Oriente Médio. “Este despertar da filha preferida daIgreja (França) foi para muitos deles uma fonte de esperança e uma razão para acreditar que não abandonaram a sua irmã na Síria, a primeira de todas as Igrejas”.Dom Jeanbart, esteve recentemente na Europa e disse que se sentiu “reconfortado ao ver uma grande quantidade de fiéis assistirem as celebrações, mas é muito amargo e doloroso ver o olhar de tristeza e desespero dos cristãos no Oriente, ao ver as carências de todo tipo que sofrem todos os dias e as desgraças que constantemente pressionam a sua existência”.O Prelado afirmou através desta carta que “mais de 135 dioceses europeias, entre elas 76 na França, se comprometeram em tocar os sinos em todas as suas Igrejas, pedindo aos cristãos que pensem em seus irmãos que sofrem na Síria e para rezarem à Rainha da Divina Misericórdia, pedindo seu amparo nos momentos de grande provação”.“O anúncio desta iniciativa de boa vontade animou muitos fiéis de Aleppo e foi motivo de consolo, pois seus irmãos franceses se preocupam com eles”, manifestou o Arcebispo.“Oremos para que o Senhor continue respondendo positivamente às orações, dirigidas à sua querida mãe e que, assim como despertamos com água e luz, Ele nos conceda em um futuro próximo a paz e a harmonia desejada!”, exortou o Prelado.Em meio às tribulações e ante a perseguição que sofrem incessantemente, o Prelado compartilhou uma boa notícia: no dia seguinte da festa da Assunção voltou a água e a energia elétrica à cidade de Aleppo, logo depois de ter passado mais de um mês sem estes serviços durante uma onda de calor.“A água e a eletricidade estão de volta para que a vida dos cidadãos mais desfavorecidos seja um pouco menos dolorosa. Demos graças à Mãe do Senhor, alto no céu e sempre presente com sua família!”.

Dom Jean-Clément Jeanbart, Arcebispo do Aleppo (Síria) enviou uma carta de agradecimento aos fiéis franceses por terem participado da iniciativa de ChristianBells de tocarem os sinos das igrejas na França no dia da Assunção da Virgem (15 de agosto) a fim de manifestar seu apoio aos cristãos perseguidos no Oriente Médio.

Para o Arcebispo, a iniciativa #ChristianBells animou muito a fé dos cristãos no Oriente Médio. “Este despertar da filha preferida daIgreja (França) foi para muitos deles uma fonte de esperança e uma razão para acreditar que não abandonaram a sua irmã na Síria, a primeira de todas as Igrejas”.

Dom Jeanbart, esteve recentemente na Europa e disse que se sentiu “reconfortado ao ver uma grande quantidade de fiéis assistirem as celebrações, mas é muito amargo e doloroso ver o olhar de tristeza e desespero dos cristãos no Oriente, ao ver as carências de todo tipo que sofrem todos os dias e as desgraças que constantemente pressionam a sua existência”.

O Prelado afirmou através desta carta que “mais de 135 dioceses europeias, entre elas 76 na França, se comprometeram em tocar os sinos em todas as suas Igrejas, pedindo aos cristãos que pensem em seus irmãos que sofrem na Síria e para rezarem à Rainha da Divina Misericórdia, pedindo seu amparo nos momentos de grande provação”.

“O anúncio desta iniciativa de boa vontade animou muitos fiéis de Aleppo e foi motivo de consolo, pois seus irmãos franceses se preocupam com eles”, manifestou o Arcebispo.

“Oremos para que o Senhor continue respondendo positivamente às orações, dirigidas à sua querida mãe e que, assim como despertamos com água e luz, Ele nos conceda em um futuro próximo a paz e a harmonia desejada!”, exortou o Prelado.

Em meio às tribulações e ante a perseguição que sofrem incessantemente, o Prelado compartilhou uma boa notícia: no dia seguinte da festa da Assunção voltou a água e a energia elétrica à cidade de Aleppo, logo depois de ter passado mais de um mês sem estes serviços durante uma onda de calor.

“A água e a eletricidade estão de volta para que a vida dos cidadãos mais desfavorecidos seja um pouco menos dolorosa. Demos graças à Mãe do Senhor, alto no céu e sempre presente com sua família!”.

Via ACI Digital

Ativistas judeus querem salvar cristãos de muçulmanos

No passado existiram campanhas de cristãos em favor dos judeus. Em especial durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Holocausto nazista assassinou cerca de seis milhões de judeus europeus.

Em meio a onda de violência do Oriente Médio contra os cristãos, principalmente os constantes massacres executados pelo Estado Islâmico, ativistas judeus decidiram fazer algo. Seu objetivo é conscientizar o mundo Ocidental, e paradoxalmente, as igrejas cristãs do que realmente está acontecendo.

Liderados pelo cartunista israelense Yaakov Kirschen, autor da coluna Dry Bones (Ossos Secos) que é reproduzida em jornais importantes como Jerusalem Post, The New York Times e Wall Street Journal. Por mais de 40 anos, ele deu espaço ao comentário político em seus desenhos, dedicando-se a denunciar o antissemitismo.

Acostumado a polêmicas, agora está querendo chamar atenção para o que classifica como o “holocausto” dos cristãos no Médio Oriente.  “Comunidades cristãs estão sendo totalmente assassinadas e muitas vezes expulsas, nessa limpeza étnica de todo o Médio Oriente. Seu objetivo é acabar com o cristianismo. Enquanto isso os líderes ocidentais fingem que não veem”, protesta.

Quadrinho Ossos SecosEm grande parte a mídia silencie, embora continuamente haja casos de igrejas queimadas, mulheres cristãs sequestradas, estupradas ou vendidas como escravas, ao mesmo tempo em que até mesmo crianças são mortas apenas por serem cristãs. Em alguns casos, judeus também são vítimas dessa perseguição aberta.

“Eu acho essa apatia algo inacreditável”, disse ele à CBN News. “É loucura saber que as igrejas não estão protestando em massa, os políticos não se posicionam e não há manifestações nas ruas dos países livres.”

Decidido a movimentar pessoas de todo o mundo, ele iniciou uma campanha na Internet para apoiar os cristãos Médio Oriente. Também está produzindo uma série de charges e quadrinhos que visam transformar seus leitores em ativistas. Kirschen acredita que a linguagem do desenho é universal.

“As pessoas precisam encontrar uma maneira de lutar contra isso. Se nossas igrejas, organizações judaicas e líderes políticos não estão dispostos a fazer nada enquanto os cristãos no Oriente Médio são totalmente exterminados, então nós, o povo, precisamos fazer alguma coisa”, assevera. Embora conte apenas com algumas centenas de colaboradores, o cartunista espera que essa mensagem se espalhe e consiga chamar atenção do maior número possível de pessoas.

 

 

Via Gospel Prime