A exemplo de Pedro e Paulo, anunciemos o Evangelho de Cristo

A exemplo de Pedro e Paulo, anunciemos o Evangelho de Cristo. Duas colunas da Igreja, duas direções por onde a Igreja deve caminhar para trilhar um único e mesmo caminho: Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

“Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la” (Mateus 16, 18).

A Igreja nos dá a alegria de celebrarmos de uma só vez os dois apóstolos São Pedro e São Paulo: duas colunas da Igreja, duas direções por onde a Igreja deve caminhar para trilhar um único e mesmo caminho: Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Paulo se converteu mais tarde à fé cristã. Antes disso ele era um ardoroso perseguidor daqueles que eram discípulos do caminho, daqueles que caminhavam na trilha de Cristo Jesus. Paulo foi alcançado por Jesus e uma vez que o Senhor alcançou seu coração, este se entregou de forma incansável a este ministério, de modo a se tornar o maior dos apóstolos ao lado de Pedro.

Paulo, o missionário, o homem da Palavra, o homem da eficácia evangélica. Precisamos aprender com esse apóstolo a não nos cansarmos de evangelizar. É como se ele mesmo dissesse: “Ai de mim se não evangelizar!”. É alguém que foi tocado de forma tão ardorosa pela graça divina que não encontra o sossego dentro de si enquanto não levar essa chama acessa a todos os cantos. Por isso, Paulo atravessa o Mediterrâneo, funda comunidades e igrejas e leva o ardor apostólico ao coração de tantos outros.

Nós hoje pedimos a intercessão de Paulo junto a Deus pelo espírito missionário, que conduz a Igreja de Cristo a levar a Palavra de Deus a todos os cantos da Terra. Pedimos a intercessão de Paulo junto a Deus por aqueles que estão em terras longínquas, distantes e sofrem para anunciar o Evangelho. Pedimos a intercessão dele pela Igreja perseguida, marginalizada, que sofre a pobreza extrema na África, que sofre por não ser aceita no Oriente Médio e em muitos países de cultura não cristã. Que a  Igreja destemida olhe para Paulo e encontre nele um exemplo da pregação evangélica!

A outra coluna da Igreja é o apóstolo Pedro, aquele que professa a sua fé em Jesus dizendo: “Tu és o Cristo! O Filho do Deus vivo”, sobre o qual está edificada a unidade da Igreja. A figura de Pedro é fundamental para que se compreenda que há uma só fé, um só batismo, um só Cristo e Senhor de todos! Pedro não quer dizer descentralização, mas quer dizer unidade. Pedro não quer dizer que somos todos iguais, mas sim que a diversidade congrega na unidade a figura daquele a quem o Senhor constituiu como pedra da sua Igreja.

Quando falamos de Pedro, nós nos lembramos da pedra, coluna principal para a qual todas as outras convergem. E olhemos hoje para o Pedro de nossos dias: o Papa Francisco, ardoroso apóstolo da Palavra de Deus, incansável no seu amor aos pobres, ardoroso no espírito missionário que renova a Igreja.

Pedimos a intercessão do apóstolo Pedro junto a Deus para que ele peça luz, força, coragem e entusiasmo ao nosso querido Santo Padre, o Papa, para que continue sendo um sinal visível da unidade da Igreja de Cristo. E que essa Igreja cresça, se fortifique e leve a todos os cantos da Terra a mensagem do Evangelho!

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo

Anúncios

Maria, modelo de fé e de unidade

Confira trecho da pregação da cofundadora da Comunidade Shalom, Emmir Nogueira, sobre “Maria, modelo de fé”. Aqui, Emmir propõe uma reflexão sobre Nossa Senhora presente na Igreja que nasce e dá seus primeiros passos, após a Páscoa de Jesus e o Pentecostes.

Nossa Senhora continua o seu itinerário de fé. Ela, que viveu como Esposa do Espírito e, evidentemente, nunca deixa de ser, que viveu como Porta do Céu e, evidentemente, nunca vai deixar de ser, passa agora a ter um papel único de unificadora.

A Esposa do Espírito agora é chamada como mãe a unificar uma igreja medrosa, que corre um para cada lado, que se tranca no Cenáculo, que um vai, o outro fica, os outros se escondem. Ela é chamada a ser agora essa figura de unidade. Ela recebeu a humanidade aos pés da Cruz. Isso serve para todos nós que estamos aqui, se foi aos pés da Cruz que recebemos nossa missão e vocação. Quem recebe essa missão e essa vocação aos pés da Cruz, recebe junto com ela a graça de vivê-la, de levar os outros a viverem.

Aos pés da Cruz, a humanidade e os discípulos de Jesus foram entregues a Nossa Senhora e ela os recebeu pela fé, por um ato de fé e de amor, e de coerência com tudo aquilo que ela havia entendido ali, aos pés da Cruz da sua vida, sua vida que toma sentido, que se unifica, que tem agora um sentido novo, um poder novo de carregá-la, vamos dizer assim. Ela recebe aos pés da Cruz um mandato de ser mãe da Igreja e mãe da humanidade, ela recebe, com isso, a graça de promover a unidade. Ela, como que arregimenta aquele bando de medrosos, fujões, e os unifica na fé e na esperança. “Ele nos mandou vir para Jerusalém, vamos ficar em oração. Foi isso o que Ele mandou fazer. Vamos rezar. A promessa do Pai vai ser cumprida”.

Nossa Senhora, então, está pronta para promover a unidade, para fazer viver a unidade. É Pentecostes e é novamente Nossa Senhora que vai estar junto com eles quando for iniciada a evangelização. E essa mulher, Mãe de Deus, Mãe da Igreja, em Pentecostes, essa mulher que promove a unidade e envia à evangelização, é a Rainha da Paz, que na sua vida viveu o itinerário de preparação para nos assumir como filhos e que na sua vida e que no ponto de vista da nossa vocação*, viveu a contemplação, a unidade e a evangelização.

*A vocação Shalom

Emmir Nogueira

Transcrição: Irlanda Aguiar

Retiro da Grande Comunidade, outubro/2013

Via Com. Shalom

Feliz Aniversário Papa Emérito Bento XVI

Hoje é dia em o nosso querido Papa Bento XVI completa 88 anos de e então resolvemos selecionar algumas das frases mais marcantes de sua vida como sacerdote e como Papa.

benedict-16-cns“Nenhuma religião e nenhuma cultura pode justificar o recurso à intolerância e a violência. Usar uma palavra revelada, as escrituras sagradas, o nome de Deus para justificar nossos interesses, nossas políticas fáceis e convenientes ou nossa violência, é um grave erro.” Papa Emérito Bento XVI

“…A Igreja precisa se opor às ‘marés’ de modismos e das últimas novidades…”.

Papa Emérito Bento XVI

“queridos jovens, a Igreja necessita autênticos testemunhos para a nova evangelização: homens e mulheres cuja vida tenha sido transformada pelo encontro com Jesus; homens e mulheres capazes de comunicar esta experiência aos outros.”Papa Bento XVI

“ueridos jovens, exorto-vos a adquirir intimidade com a Bíblia, a tê-la à mão, para que seja para vós como uma bússola que indica o caminho a seguir. Lendo-a, aprendereis a conhecer Cristo”Papa Bento XVI

“OMundo necessita do testemunho da vossa fé.”

Papa Bento XVI

“A fé é mais do que uma palavra, mais do que uma idéia; significa entrar na comunhão com Jesus Cristo e, por meio d’Ele, com o Pai. É o verdadeiro fundamento da comunidade dos discípulos, a base para a unidade da Igreja.”
Papa Emérito Bento XVI

“O compromisso missionário é uma dimensão essencial da fé: não se crê verdadeiramente se não se evangeliza.”
Papa Emérito Bento XVI

“Procurando tornar o Evangelho presente no ambiente digital, podemos convidar as pessoas a viverem encontros de oração ou celebrações litúrgicas em lugares concretos como igrejas ou capelas. Não deveria haver falta de coerência ou unidade entre a expressão da nossa fé e o nosso testemunho do Evangelho na realidade onde somos chamados a viver, seja ela física ou digital… Somos chamados a dar a conhecer o amor de Deus até aos confins da terra.”
Papa Emérito Bento XVI

“O nosso testemunho será cada vez mais incisivo quanto menos procurarmos a nossa glória e sermos conscientes de que a recompensa do certo é Deus.”
Papa Emérito Bento XVI

“Assim, a nossa procissão de hoje quer ser imagem de algo mais profundo, imagem do fato que nos encaminhamos em peregrinação, juntamente com Jesus, pelo caminho alto que leva ao Deus vivo. É desta subida que se trata: tal é o caminho, a que Jesus nos convida. Mas, nesta subida, como podemos andar no mesmo passo que Ele? Porventura não ultrapassa as nossas forças? Sim, está acima das nossas próprias possibilidades. Desde sempre – e hoje ainda mais – os homens nutriram o desejo de “ser como Deus”; de alcançar, eles mesmos, a altura de Deus. Em todas as invenções do espírito humano, em última análise, procura-se conseguir asas para poder elevar-se à altura do Ser divino, para se tornar independentes, totalmente livres, como o é Deus. A humanidade pôde realizar tantas coisas: somos capazes de voar; podemos ver-nos uns aos outros, ouvir e falar entre nós dum extremo do mundo para o outro. E todavia a força de gravidade que nos puxa para baixo é poderosa. A par das nossas capacidades, não cresceu apenas o bem; cresceram também as possibilidades do mal, que se levantam como tempestades ameaçadoras sobre a história. E perduram também os nossos limites: basta pensar nas catástrofes que, nestes meses, afligiram e continuam a afligir a humanidade.”

Papa Emérito Bento XVI

“Às vezes o ar que respiramos em nossas sociedades não é saudável, está contaminado por uma mentalidade que não é cristã, e que também não é humana, porque está dominada por interesses econômicos, preocupada apenas com as coisas terrenas e privada de uma dimensão espiritual.”
Papa Emérito Bento XVI

“Não se deixem intimidar por um ambiente no qual se pretende excluir Deus e no qual o poder e o prazer são os principais critérios que regem a existência.”
Bento XVI

“O pecado é sempre uma ‘droga’, mentira de falsa felicidade.”
Papa Emérito Bento XVI

“Estamos nos dirigindo a uma ditadura do relativismo, que não reconhece nada como definitivo e tem seu mais alto valor no próprio ego e nos próprios desejos.”
Papa Emérito Bento XVI

“A tolerância que só admite Deus como opinião privada, mas que lhe nega o domínio público (…) não é tolerância, senão hipocrisia.”
Papa Emérito Bento XVI

“Sem verdade, a fé não salva, não torna seguros os nossos passos.” Papa Emérito  Bento XVI

“A eficácia do nosso serviço à Igreja, depende essencialmente da nossa fidelidade à realeza divina do Amor crucificado.”
Papa Emérito Bento XVI

“Não procuro aplausos, procuro obedecer à Verdade.”
Papa Emérito Bento XVI

“O nosso testemunho será cada vez mais incisivo quanto menos procurarmos a nossa glória e sermos conscientes de que a recompensa do certo é Deus.”
Papa Emérito Bento XVI

“Cada um, mesmo quem se encontra afastado, traz consigo a marca de Deus e, portanto, evidentemente, tem sempre uma sede de infinito, do belo e do bom.”
Papa Emérito Bento XVI

“Quem bate palmas na Missa está aplaudindo os algozes (de Cristo na cruz).”
Papa Emérito Bento XVI

“A falta de unidade (entre as igrejas cristãs) mina a credibilidade da mensagem cristã divulgada à sociedade.”
Papa Emérito Bento XVI

“Não tenhais medo de viver e testemunhar a fé nos vários setores da sociedade, nas múltiplas situações da existência humana!”
Papa Emérito Bento XVI

“Não se pode seguir Jesus de forma solitária. Quem cede à tentação de ir ‘por sua própria conta’ ou de viver a fé segundo a mentalidade individualista, que predomina na sociedade, corre o risco de nunca encontrar Jesus Cristo, ou de acabar seguindo uma imagem falsa d’Ele.”
Papa Emérito Bento XVI

“Uma liturgia participativa é importante, mas uma que não seja sentimental. A liturgia não deve ser simplesmente uma expressão de sentimentos, mas deve emergir a presença e o mistério de Deus no qual ele entra e pelo qual nós nos permitimos ser formados.”
Papa Emérito Bento XVI

“Não existe santidade sem amor. E não pode existir amor sem a verdade. Ora, assim como só se pode dar a saúde combatendo a doença, também só se pode defender e ensinar a verdade, condenando o erro oposto a ela.”
Papa Emérito Bento XVI